Mulheres na Área de Tecnologia com Glenda Souza

Views: 6106

The complete platform for all your events

Book a Meeting
Posted on June 26, 2018

Na semana passada eu entrevistei a Glenda Souza, líder de TI para vendas, marketing, comunicação, eventos e RH na LIBBS. Antes de ocupar o cargo atual na LIBBS, a Glenda também passou por empresas como Motorola e Itaú. Como junho é o mês da diversidade, o tema da entrevista foi Mulheres na Área de Tecnologia.

Glenda Madeira de Souza – Líder de TI na Indústria Farmacêutica LIBBS

Durante a conversa cruzamos os dados estatísticos de mulheres no mercado com a realidade profissional da Glenda. Foi uma experiência muito positiva entrevistar uma mulher que ocupa um cargo de liderança no setor de tecnologia:

O grande desafio hoje é como não fazer tecnologia por fazer e trazer as melhores soluções para os clientes. No caso da farmacêutica, você tem médicos, tem pacientes, tem muitas pessoas que podem ser consideradas nossos clientes… Sempre buscamos soluções para entregar valor para o cliente.

 

Mulheres estão sim ocupando cargos de liderança

Durante a entrevista, a Glenda compartilhou que além dela ser líder de TI na empresa em que trabalha, durante a trajetória profissional dela ela teve sim muitas gerentes e líderes mulheres. Desde a sua experiência na Motorola, não haviam muitos gaps de gênero na liderança. Dentro do Itaú, onde Glenda trabalhou com a área de canais ela também teve chefes mulheres. Na LIBBS, por exemplo, das 8 pessoas que compõe a diretoria, 3 são mulheres.

 

Alguns preconceitos ainda precisam ser quebrados nas organizações

É muito importante ter estabilidade emocional. Comentários como “putz quando fiquei sabendo que era uma mulher que ia liderar, fiquei com receio…” ou “mulher é mais frágil” são normais e comuns. Para trabalhar com TI é preciso gostar de resolver problemas, é preciso ser racional, estar aberta para o aprendizado, ter metodologias, se atualizar bastante, estar sempre estudando pois é um mercado que tem sempre muitas novidades. Questões como salário menores para mulheres que ocupam o mesmo cargo que homens é algo que acontece mas que vem diminuindo. Outro problema é a licença maternidade, que muitas vezes a empresa não está preparada para isso:

É uma questão que ainda precisa ser resolvida. Tem outros temas como a flexibilidade da jornada, benefícios diferenciados, o suporte. Precisa estar na agenda do gestor para ele encarar isso de uma forma natural e acolhedora… Apoiar com auxílio psicológico, oferecer a opção de home office…

Sem diversidade, não há inovação

Falando sobre a importância de tornar empresas mais inclusivas com a diversidade, a Glenda trouxe o exemplo da Paula Paschoal que é General Manager na Paypal. As empresa precisam colocar o cliente no centro e trabalhar com equipes multidisciplinares e de diversas formações.

Clique aqui para ler o artigo da Paula Paschoal sobre Investir em diversidade e nos talentos: os desafios da década.

Eu acredito na diversidade, não dá para ser um olhar apenas, por que o mercado é muito amplo, tem muitos players, gente concorrendo, então tem que olhar para o seu cliente e entender a necessidade que ele precisa. Quanto mais variado for o seu time, com engenheiros, designers, antropólogos, mais rápido você conseguirá fazer isso.

 

Para ver o conteúdo na íntegra, assista ao webinar e não se esqueça de se inscrever no nosso canal do YouTube:

 

Acompanhe todos os episódios da série InEvent Future Talks se inscrevendo aqui:

[hubspot portal=”5958648″ id=”5301f3e9-4597-497c-b2ed-bfd694541e55″ type=”form”]
WebManager
© InEvent, Inc. 2024